Autor
Contactos
Links
Espaço DMA
Os meus sites
Promoções, Silêncios, Desvirtuações
Terceiro Mundo em Notícias
Foi Você que Pediu um Bom Título?
YouTube
VÍDEOS EM DESTAQUE
Twitter
Facebook
Rádio BLIP
PODOMATIC DMPA
Manchete
Slideshare DMPA
Slideshows DMA
Torga em SMS
Centenário da República
Sítios dos meus alunos
Espaço A
Media Critics
Polémicas
Derrapagens
Da Condição de Jornalista
Educação para os Media
Fotografia
Fotojornalismo
Internet
Blogosfera
Televisão
Imprensa
Rádio
Agências Noticiosas
Design Gráfico
Publicidade
Público & Privado
Leituras
Revival
Vária
Recreio

 Inquérito









 Velvet Secret

Velvet Secret
Queima das Fitas, Coimbra, Maio 2007
Get flash player to play to this file


NOTÍCIA SOBRE SUICÍDIO PREMIADA
"Ele tinha tudo para ser feliz. Juventude, saúde, talento, dinheiro, o amor de belas garotas. Mas Felipe construiu para si um mundo dark e animal. Tatuou demônios no peito - e foi vencido por eles.
Na noite do sábado 17 de abril, um corpo de aparência incomum foi levado pela polícia ao necrotério da Avenida Ipiranga. Tinha duas protuberâncias esquisitas na testa. O médico-legista abriu o couro cabeludo, abaixou a pele até o nariz e se deparou com algo muito raro: dois chifres implantados na carne, feitos de teflon. Cada um era quase do tamanho de uma barra de chocolate Prestígio.
EFEITO WERTHER
Uma das mais recentes e conhecidas associações entre a mídia e o suicídio nasceu do romance de Goethe Die Leiden des jungen Werther (O Jovem Werther), publicado em 1774. Nesta obra o herói mata-se com um tiro após uma malfadada paixão, e pouco depois da sua publicação muitos foram os casos de jovens que usaram o mesmo método para cometer o suicídio. Isto resultou na proibição do livro em determinados locais. Daí o termo “Efeito Werther”, utilizado na literatura técnica para designar os suicídios imitativos.
SUICÍDIO NOS JOVENS

(...) Esta questão assume maior visibilidade quando somos confrontados com relatos mediáticos, histórias quotidianas ou experiências pessoais que abordam a temática do suicídio ou das tentativas de suicídio na adolescência.
Na análise dessas situações, existe frequentemente uma tendência para criar uma espiral de explicações causais simplistas que associam adolescência a vulnerabilidade, instabilidade, turbulência, crise e a uma emotividade exacerbada. Daí a considerar que os adolescentes se suicidam ou se tentam suicidar por um mal de amor, um desamor ou por amor vai uma distância perigosamente curta e profundamente enganadora.

© 2005-2013 - Mediapolis - Design by Ectep