Autor
Contactos
Links
Espaço DMA
Os meus sites
Promoções, Silêncios, Desvirtuações
Terceiro Mundo em Notícias
Foi Você que Pediu um Bom Título?
YouTube
VÍDEOS EM DESTAQUE
Twitter
Facebook
Rádio BLIP
PODOMATIC DMPA
Manchete
Slideshare DMPA
Slideshows DMA
Torga em SMS
Centenário da República
Sítios dos meus alunos
Espaço A
Media Critics
Polémicas
Derrapagens
Da Condição de Jornalista
Educação para os Media
Fotografia
Fotojornalismo
Internet
Blogosfera
Televisão
Imprensa
Rádio
Agências Noticiosas
Design Gráfico
Publicidade
Público & Privado
Leituras
Revival
Vária
Recreio

 Inquérito









 Velvet Secret

Velvet Secret
Queima das Fitas, Coimbra, Maio 2007
Get flash player to play to this file



COM ILUSTRAÇÕES DE PINTORAS NAIF
No Fastifud da Bernadete
“No Fastifud da Bernadete”, da autoria de Dinis Manuel Alves, edição da Câmara Municipal da Lousã, tem como pano de fundo uma secção mantida pelo jornal “Commercio da Lousã”. A rubrica intitulava-se “Serões do Povo - À Lareira”, e vinha assinada por Paulino.

Através do registo coloquial, o autor dos diálogos (entre um erudito e elementos do povo), tentava fazer passar aos leitores, e de uma forma mais acessível, as linhas mestras do ideário republicano.

VEJA O SITE DO LIVRO

DA TABERNA AO FAST FOOD

Os diálogos de antanho presumem-se passados numa taberna. Dinis Manuel Alves optou, desta feita, por evitar o registo descritivo dos tais diálogos. Ficcionou um “fastifud” na Lousã — os locais de “comida rápida”, os “come em pé” tão na moda neste findar de século —, e sentou à mesa do “fast food” novas personagens. O equilíbrio mantém-se — um só erudito, e muitos “escutadores”. A conversa gira em torno dos diálogos antigos, sendo os mais saborosos reproduzidos na íntegra. Mas, a pretexto dessas charlas de início de século, outras conversas surgem, agora com sabor a virar de milénio.

Em 1910 o fascínio virava-se para os “carros inlectricos” e para os “tilifones”, que um dos parceiros do Sr. Antoninho (o erudito dos ‘Serões do Povo’) descobrira em Coimbra. Hoje, é a televisão e a Internet que garantem as despesas da conversa, à mistura com a política, como não podia deixar de ser.
O equilíbrio do naipe de personagens mantém-se, com uma novidade: a perturbante Dete, que subiu a título do livro, cabendo aos leitores descortinar o seu papel em toda a trama.

HOMENAGEM À PINTURA NAIF, QUE NA LOUSÃ JÁ GANHOU FOROS DE TRADIÇÃO E PRESTÍGIO

Uma novidade a registar: o livro inclui várias ilustrações, a cores, de pintoras naif, numa homenagem aos pintores deste género que a Lousã tem sabido acolher, através dos sucessivos Salões que a autarquia tem organizado.
Ali encontramos pinturas de Luiza Caetano, Nell, UCAfonso, e da neófita nestas andanças, Levinda Penedos.
Para além das pinturas acima referidas, o livro contém ainda outras ilustrações, (respigos do autor sobre publicidade aos telefones, por exemplo), e recortes de jornais lousanenses sobre alguns dos temas versados na obra que agora vai ser dada à estampa.

Excerto do press release referente ao lançamento do livro,


Data: 2012-06-15

© 2005-2013 - Mediapolis - Design by Ectep